quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A sua vida

Não chores! Levanta-te! Lc 7, 11-17 Naquele tempo: Jesus dirigiu-se a uma cidade chamada Naim. Com ele iam seus discípulos e uma grande multidão. Quando chegou à porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único; e sua mãe era viúva. Grande multidão da cidade a acompanhava. Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: ‘Não chores!’ Aproximou-se, tocou o caixão, e os que o carregavam pararam. Então, Jesus disse: ’Jovem, eu te ordeno, levanta-te!’ O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: ’Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo.’ E a notícia do fato espalhou-se pela Judéia inteira, e por toda a redondeza. Naquela e tempo, Jesus dirigia-se a Naim. Com ele iam seus discípulos e uma grande multidão. Hoje, Jesus quer dirigir-se à minha vida. Quem vem com ele? Como é o rosto dele ao se dirigir a mim? Quem o acompanha? Que sentimentos aparecem quando me coloco em oração? Que desejos, medos, inseguranças? Consolação, amor, compaixão? Quando chegou à porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único; e sua mãe era viúva. Grande multidão da cidade a acompanhava. Levavam um órfão morto e a mãe viúva. No contexto da época órfãos e viúvas eram os mais necessitados. Jesus chega à porta da minha vida. De lá, que necessidades ele pode ver? O que há de mais necessitado em mim? Ou, quais são os necessitados que mais me preocupam neste momento? A multidão acompanhava a mulher. Mas não podia fazer nada além de acompanhá-la. Muitos nos acompanham, fazem o que podem. Mas, muitas vezes, precisamos de mais. Tentamos acompanhar outras pessoas, e temos que fazê-lo. Mas o outro, muitas vezes, também precisa de mais! Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: ‘Não chores!’ Aproximou-se, tocou o caixão, e os que o carregavam pararam. Senhor, dá-me o dom de experimentar a compaixão que você sente pela minha vida! Dá-me o dom de me compadecer com aqueles que me rodeiam. Jesus olha pra minha vida hoje e se compadece. “Não chores!”. É o que Ele me diz! E eu me paro diante dele com tudo o que carrego por dentro. Então, Jesus disse: ’Jovem, eu te ordeno, levanta-te!’ O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. Senhor, o que há em mim hoje que você deseja despertar? Que parte é essa de mim que anda meio paralisada, sem vida? O que você deseja que volte a viver em mim? Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: ’Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo.’ E a notícia do fato espalhou-se pela Judéia inteira, e por toda a redondeza. Obrigada, Senhor, porque você tem a última palavra sobre a morte. Que seja você que guie a nossa oração e nosso encontro com você nos levando ao mais profundo e fazendo reviver o que está sem vida. Pollyanna Vieira – Família Missionária Verbum Dei – Belo Horizonte – MG